PRENUNCIANDO O ANO DO FEMININO

Mensagem de Emmanuel Dagher

2 de Novembro de 2017.

Há muito a relatar, assim vamos direto a isto!

Em Outubro começamos a ver o  próximo nível do despertar ocorrendo nos corações e mentes da humanidade.

Este despertar está diretamente ligado ao influxo das energias do Feminino Divino que estão sendo ativadas na consciência de cada pessoa no planeta, preparando-nos para as novas mudanças que estarão chegando em 2018 e além.

As bases para que possamos receber a próxima onda do despertar do Feminino Divino continuarão a se formar e a se fortalecerem em Novembro.

FORTALECENDO A NOSSA INTUIÇÃO

Uma das muitas dádivas que o Feminino Divino nos oferece é o dom da intuição. Nossa intuição trabalha em estreita colaboração com o hemisfério direito do cérebro, oferecendo-nos insights que ignoram os limites da lógica e da razão.

É um conhecimento interior natural que transcende o intelecto mental e nos conecta com a sabedoria do coração. A Intuição é a voz do nosso Espírito.

Nossa intuição nos fala constantemente, quer a mente opte por ouvi-la, ou mesmo se estamos cientes dela ou não. Ela está sempre nos orientando na direção do nosso caminho mais elevado, e nos empurra para uma maior expansão, de modo que possamos viver a maior versão de nossa vida nesta realidade da terceira dimensão.

Em Novembro, teremos a oportunidade de nos conectarmos mais profundamente com a nossa intuição. Isto pode vir de muitas maneiras diferentes.

A única coisa que nos é solicitada, é que prestemos atenção e vivamos no momento presente, tanto quanto pudermos. Isto irá garantir que a nossa conexão com a nossa intuição seja fortalecida de modo significativo, para que estejamos preparados para a próxima fase de nosso despertar pessoal e coletivo.

Ao nos conectarmos com a nossa intuição, empoderamos as nossas vidas para que elas fluam com maior facilidade. Quanto mais alinhados estivermos com este fluxo mais elevado, mais alinhados estaremos para criarmos uma vida de plenitude, alegria, amor, paz, prosperidade, liberdade e bem-estar.

A ILUSÃO ESTÁ SE DISSOLVENDO

Durante eons, a sociedade coletiva operou predominantemente nos princípios patriarcais orientados para a sobrevivência. Estes vieram até nós através de instituições que promoveram o medo e a separação, entregues nas formas da religião, da guerra, educação, governo, entretenimento e medicina.

Durante este tempo, os princípios mais intuitivos e criativos do Feminino Divino, como valorizar o indivíduo, honrar a Terra e buscar a cura natural e o crescimento pessoal, foram deixados de lado, como sendo muito passivos, baseados no coração e não produtivos.

A Humanidade viveu com este desequilíbrio por milhares de anos. No entanto, foi tudo parte de um contrato da Alma que todos fizemos para usarmos este desequilíbrio para aprendermos lições, curarmo-nos, evoluirmos e voltarmos para a verdade de quem somos em nossa essência.

É importante agradecer e honrar todas as instituições patriarcais que promoveram o medo e a separação, tão desafiadoras quanto possam ser, porque elas desempenharam um papel fundamental em nosso processo do despertar.

Elas se dispuseram a desempenhar o papel de desafiador em nossa jornada, de modo que pudéssemos ver o contraste entre o que queríamos criar mais em nossas vidas e o que não mais queríamos.

No momento em que somos capazes de agradecer e de honrar todos os desafios em nossas vidas, por mais difíceis que pareçam no momento, é hora de nos libertarmos do poder que elas mantiveram sobre nós.

É isto o que está acontecendo agora. As pessoas estão despertando e se libertando da ilusão do medo e da separação.

Estamos recuperando o poder!

Este movimento está dissolvendo

o antigo sistema patriarcal baseado na sobrevivência, enquanto os valores mais matriarcais da vida baseados no coração e dirigidos pela alma, chegam à frente de nossa consciência.

Podemos ver claramente a dissolução do velho sistema acontecendo em todo o mundo. Sistemas e ideologias que operam por meio de táticas de medo, controle, ganância e segredo, sem integridade, não serão capazes de continuar por muito mais tempo.

O caos e a aparente ampliação do medo que estivemos vendo ultimamente, é realmente uma clara confirmação de que a humanidade como um todo já teve o suficiente e que estamos preparados para algo muito diferente.

Se as coisas estão parecendo um pouco mais assustadoras para você no mundo, é porque há um desespero sendo sentido agora por aqueles que tentam causar o medo.

A maneira com que vejo isto é a parte do “ego” da humanidade – apenas a mente tentando se proteger e manter as coisas da mesma maneira.

Com esta consciência, podemos ter compaixão, sem termos que adquirir ou alimentar as táticas do medo.

O processo do despertar foi chamado pelo nosso Espírito muito antes mesmo de entrarmos neste paradigma. Assim, podemos ter conforto em saber que não há certo ou errado quando se trata de como nos movemos através do nosso despertar.

Nossa intuição sempre encontrará uma maneira de nos guiar de volta para o nosso verdadeiro Eu, quer optemos por seguir a rota mais longa ou a mais direta.

A PRÓXIMA FASE DO DESPERTAR

Esta nova fase de nosso despertar, que começou em Outubro, está nos apoiando na superação do papel de Vítima.

Temos agora a oportunidade de aposentarmos o arquétipo de Vítima com que nós e os nossos antepassados nos identificamos durante muitas vidas.

Antes que aposentemos o arquétipo de Vítima, é importante honrá-lo por servir para nos manter seguros e protegidos em um mundo que costumava operar puramente na sobrevivência.

É também importante que entreguemos as nossas experiências de nos identificarmos com a consciência de vítima, a sua plena dignidade e direito de serem vistas, ouvidas e reconhecidas.

Este é realmente o primeiro passo para nos libertarmos de continuar a permanecer no papel de vítima.

Não queremos nos livrar, responsabilizar ou negar nada que experienciamos durante estes tempos que nos identificamos como sendo uma vítima.

O segundo passo na liberação da consciência de vítima é aceitar cada pessoa, experiência e coisa tal como ela surgiu em nossas vidas, sem tentar mudá-las. Ao aceitarmos estas coisas, não estamos dizendo que ressoamos, aprovamos ou concordamos com elas. Estamos simplesmente nos dando a permissão de não permitir que elas nos definam.

O terceiro passo na liberação da consciência de vítima é deixar ir a censura – em outras palavras, o perdão.

A censura vem de uma necessidade de tornar algo ou alguém certo/errado ou bom/ruim, e de algum modo responsável pelo que experienciamos.

Em nosso âmago, somos o Criador de todas as nossas experiências

Quando operamos conscientemente a partir do nosso Eu Criador, transcendemos a dualidade. Passamos do julgamento para o discernimento.

À medida que entramos na beleza e no poder de nosso Eu Criador, navegamos em nosso caminho, escolhendo somente o que parece estar em alinhamento para nós e liberando o que não esteja. Compreendemos que apenas porque algo ressoa ou não conosco, não significa que seja bom ou ruim.

Você pode sentir como é muito mais leve operar a partir deste espaço?

Há somente ressonância, ou ausência de ressonância. Significando que: “Eu escolho mais disto, ou menos, ou nada disto.” Não há mais necessidade de rótulos de “bom” ou “ruim”. Isto é liberdade!

O quarto passo para superar a consciência de vítima é reivindicar o nosso poder.

Reivindicar o nosso poder significa que estamos empenhados em nos conectarmos com quem somos em nosso âmago. Fazemos isto através do amor próprio, do cuidado, da bondade, do desenvolvimento espiritual e da expressão criativa.

As pessoas mais poderosas no planeta são aquelas que sabem quem elas realmente são. Elas sabem que são bem maiores do que a soma de todas as suas experiências e histórias.

Elas sabem como se expressar plenamente e falam a partir de um espaço de amor, sem ter que provar nada a ninguém.

Elas perdoam rapidamente e superam experiências desafiadoras com maior facilidade.

Elas são gentis e amorosas com o mundo ao seu redor e cuidam do bem-estar de todos os seres vivos.

Elas fazem uma diferença no planeta, sem se preocupar quão pequeno ou grande o efeito disto possa ser.

Elas não se preocupam com a raça, o gênero, a religião e a orientação sexual.

Elas celebram a capacidade de prosperar dos outros.

Elas se veem como parte de um todo, e não como separadas de todas as outras formas de vidas.

Elas sabem como amar, e como serem abertas e vulneráveis.

São positivas e otimistas.

Elas defendem o que elas acreditam.

E muito mais.

APENAS UM PEQUENO VISLUMBRE DO FEMININO DIVINO

Os insights compartilhados aqui são apenas um pequeno vislumbre do que está por vir com a próxima onda do despertar através do Feminino Divino.

Isto será muito poderoso!

Em Dezembro, o Feminino Divino estará aqui em sua plena glória, para nos anunciar 2018, o Ano do Feminino Divino.

Estou ansioso por compartilhar muito mais, do que isto significa para nós nos próximos meses!

Por enquanto, podemos nos permitir receber e digerir esta fase atual do despertar, de modo que estejamos preparados para toda a magia que logo estará surgindo em nosso caminho.

Até à próxima vez,

Milagrosamente seu,

Emmanuel

Home

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *