A ÂNCORA

Mensagem de Jeshua canalizada por Pamela Kribbe em abril/2019
Fonte: http://www.jeshua.net/

Meus queridos amigos,

Eu sou Jeshua, um velho amigo de vocês, e os saúdo. Estou grato e feliz por estar aqui entre vocês. Sintam a minha energia, a minha presença. Sou igual a vocês, uma alma afim. Quero abraçá-los como meus companheiros; não quero me colocar acima de vocês, mas tocá-los, de coração a coração.

Peço a cada um que sinta meu apreço por si. Você tem sido corajoso, dia após dia buscando sua própria essência, seu “Eu” e o que você é. Você está procurando a âncora dentro de si. No fundo do seu ser, você sabe que não pode viver verdadeiramente na Terra, a menos que tenha descoberto esse centro de si mesmo, e a paz que lá existe, para que encontre tranquilamente seu caminho na vida.

Encontrar e experimentar essa âncora em si mesmo é, talvez, o passo mais importante que você deva dar na vida, como alma na Terra. Se conseguir encontrar seu “Eu” aqui, em meio às energias agitadas e confusas da Terra, e vivenciar o silêncio em seu coração, ouvir sua alma falar, então viverá aqui a partir da sua força interior. Assim, a luz da sua alma viverá no seu corpo terreno e você será literalmente animado por ela. Ao invés de viver de fora para dentro, sempre reagindo aos estímulos externos, você começará a viver de dentro para fora, a partir da sua verdade, que é encontrada repetidas vezes no silêncio.

Como conectar-se com essa verdade em seu interior? É sobre isto que desejo falar hoje.

Acabei de mencionar os estímulos externos, que o afastam da sua verdade, da sua âncora, do seu ponto de descanso interior. Esses estímulos não vêm apenas do mundo e das pessoas ao seu redor, mas vêm também de partes suas que internalizaram esses estímulos, os quais passaram a se localizar dentro de você mesmo: na sua cabeça, em seus pensamentos, em seus padrões de comportamento. Você tem ideias compulsivas a respeito de si mesmo. Acredita, por exemplo, que deveria se comportar de uma certa maneira de modo a ser uma “boa pessoa” ou um “cara legal”. Você tem imagens ideais e acha que deve viver à altura delas, mas isto acaba criando muita pressão sobre você.

A maioria das pessoas faz isto continuamente, como resultado de anseios que não vêm da própria alma, nem do mundo externo. Estes anseios se estabelecem como mensagens subliminares em seu campo energético. Eles são os mais difíceis de serem liberados, no caminho para a tranquilidade e paz interiores. Esses estímulos internos, essas exigências e imagens ideais que você assumiu e realmente acredita que se aplicam a você… são eles que o mantêm afastado de si mesmo e da voz da sua alma.

Quero lhe pedir, agora, que crie um espaço em seu campo energético, que é composto por esses padrões de pensamentos, hábitos, comportamentos e padrões reativos automáticos. Mas lhe peço que não faça isto a partir da sua mente e pensamentos, e sim começando por se conectar com o solo sob seus pés e o batimento cardíaco da Mãe Terra. Tome consciência dos seus pés e do campo de força que vive dentro e ao redor deles. Perceba que independentemente do que você pense ou faça, e de suas eventuais preocupações, você está sendo sustentado pela energia da Mãe Terra, o tempo todo. Perceba como isto acontece por si só e permita-se ser sustentado por ela. Sinta como o fluxo da Terra se conecta com você, penetrando lentamente pelos seus pés, fluindo por suas pernas, joelhos, coxas, quadris e pélvis. Sinta o poder tranquilo e estável dessa energia.

Esta energia da Terra é silenciosa e, ao mesmo tempo, muito específica, pois flui exatamente para aquelas partes suas que podem utilizar estabilidade e segurança extras. Você consegue se permitir ser abraçado pela Terra, por sua força e sabedoria? Sinta como esse poder acalma os pensamentos agitados da sua mente, o desejo de conduzir e controlar a vida. Quando está conectado com o fluxo da Terra, você abandona esse desejo e começa a pensar com seu coração e não mais com sua cabeça.

Experimente! Sinta-se carregado por uma corrente terrena silenciosa e estável, que envolve suas pernas, seus quadris e toda a região do seu abdome. Sinta como você consegue desapegar-se de tudo o mais, e que está sendo sustentado por essa corrente. Observe o que acontece com a energia na sua cabeça e como esta fica muito mais tranquila. Imagine que todos esses pensamentos, ponderações e ideias que você fica remoendo jorram para fora de você, como a água de um dique. Sua cabeça torna-se menos ativa e mais quieta e tranquila. Você pode perceber, no centro da sua cabeça, um ponto que observa sem pensar. É simplesmente uma presença, uma consciência, que não raciocina, mas observa. Sinta o quanto é agradável simplesmente estar aí, não tendo que fazer nada: você está simplesmente presente e alerta.

Agora, mova sua atenção desse ponto silencioso, no centro da sua cabeça, para a área do seu coração, do sentimento. Com o “olho” da sua cabeça, procure cuidadosamente a área do seu coração, as energias sutis, refinadas, que lá residem. Não tenha nenhuma expectativa nem julgamentos sobre o que você vê. Talvez você tenha uma sensação de calor no coração… ou talvez o sinta como algo trancado. Talvez seu coração esteja com medo de se abrir, e isto é muito compreensível, porque você carrega inúmeros medos e convicções em seu interior, que fazem com que seja difícil o seu coração manter-se aberto. Agora, enquanto se sente amparado pela Mãe Terra, e um lugar tranquilo é criado em sua cabeça, vamos olhar para esses velhos medos ou pensamentos negativos que o impedem de abrir seu coração novamente.

O mais importante é observar a partir de dentro de si mesmo, e não de influências externas, ou de formas pensamentos, ou de julgamentos do tipo “deveria ser”, mas com um olhar aberto e puro. Sinta esse espaço no seu coração por um momento… um espaço que está cheio de beleza eterna, que pertence a você, à sua alma. Veja aí a luz que você é e desenvolveu ao longo de muitas vidas que já teve na Terra e em outros lugares. Não precisa saber exatamente onde nem como, mas compreenda que você é um ser desenvolvido através de inúmeras experiências e vidas, nas quais descobriu e explorou vários aspectos de si mesmo e os trouxe à consciência.

Sinta, por um instante, a riqueza em seu coração; perceba o requinte e as nuances com que você pode pensar e sentir. Talvez você veja cores e imagens da natureza, tais como flores, etc…embora não importe o que você veja. Apenas saiba que a riqueza está aí, mesmo que existam partes suas que ainda são mantidas a sete chaves, porque você tem medo de deixar essa riqueza ser vista por si mesmo e pelo mundo.

Ela está aí – eu a vejo – e é por isto que o amo tanto e o valorizo tão profundamente. Inclusive vejo a dor que você vivencia quando lacra certas partes de si mesmo, sua própria riqueza e abundância, seu próprio amor e luz. É doloroso viver dessa forma! Embora às vezes lhe possa parecer mais seguro trancar essas partes de si, perceba por um momento o que isto lhe faz. Sinta a luz, a alegria, o entusiasmo, que naturalmente desejam fluir, desejam ser vistos e se conectar com o mundo. Sinta a inspiração que vive no fundo do seu ser.

Agora, vamos abrir uma porta, através da qual algo será liberado em você, pois chegou o momento para que assim seja. Isso agora poderá fluir e manifestar-se de um modo bom e belo em sua vida. Visualize, por um momento, na área do seu coração, uma porta antiga, enferrujada, que abre com dificuldade. Sinta a energia dessa porta, que você mesmo colocou aí para poder sobreviver emocionalmente, ou até fisicamente. Existem todos os tipos de motivos em seu passado, em sua infância, ou até mesmo em outras vidas, para você ter colocado essa porta aí e ter se sentido seguro ao fazê-lo. Mas agora, ela fere mais do que ajuda – está na hora de abrir essa porta.

Imagine que agora você se volta para essa porta. Sinta a quietude em sua cabeça e saiba que você vai simplesmente observar o que foi mantido oculto por tanto tempo. Você abre a porta lentamente, enquanto ainda sente, em seus pés, o poder e a firmeza que a Terra lhe dá, e então sabe que está sendo amparado.

Está na hora de se abrir para uma parte mais ampla da sua alma, para quem você é. O que está querendo sair por essa porta? Talvez a primeira coisa que você veja seja uma certa desordem, velhas energias rolando para fora de lá, desejando ser vistas… medos, dúvidas… algo meio sombrio, talvez? Olhe para elas com uma tranquilidade equilibrada e acolha-as.

Por trás desses medos, ou da confusão, oculta-se algo infinitamente belo que deseja muito ser incluído novamente em seu coração aberto. Pergunte-lhe se quer se apresentar, pois ele tem uma mensagem para você. É uma parte do seu Eu Superior, seu Eu Angélico, que deseja sair e ser recebido em sua vida. Dirija luz, amor e compreensão para a porta e a abertura, de modo a criar uma ponte por onde o que está escondido possa sair. E então atreva-se a fitá-lo. Atreva-se a ver o quanto é grandioso e belo!

Muitas vezes você tem medo da sua própria força, sabedoria e beleza. Você se torna pequeno em sua mente e realmente não quer ver o que está lá; mas deixe-o aparecer, e não seja modesto demais nem duvide de seu potencial, porque esta é a energia pela qual você esteve esperando em sua vida.

Pode ser mais fácil se você imaginar essa energia na forma de uma pessoa… então veja se surge uma figura masculina ou feminina. Isto pode lhe indicar que tipo de energia deseja fluir em você agora, e pode ajudá-lo a abrir seu coração. Olhe para ele ou ela, e ouça o que essa figura deseja lhe contar. Deixe que ela fale e, então, ancore a energia dessa pessoa em seu coração, pois ela é uma parte de você. Imagine que você a aceita e admite completamente dentro do espaço do seu coração.

Permita que ocorra uma renovação na sua vida. Você não pode prever exatamente o que vai acontecer, mas confie e se entregue a este processo. Uma vez que se conecte com seu coração e as portas que estavam fechadas se abram, você fará a conexão com sua alma e sentirá sua orientação interior. E então encontrará essa âncora, esse centro dentro de si, que lhe é necessário para que possa sentir onde você está agora e perceber para onde está indo.

Agora conecte cabeça, coração e abdome, uns com os outros. Sinta novamente o poder sustentador da Terra e conecte-se com ela. Você será cercado por energias amparadoras na sua vida, e a Terra é uma delas. Confie nela! Ela quer criar um caminho para você; ela quer recebe-lo. Você é bem-vindo aqui, e não está sozinho!

Por favor, conecte-se novamente com o centro silencioso e tranquilo na sua cabeça, onde você não pensa, mas simplesmente percebe, estando alerta e presente. E, finalmente, conecte-se mais uma vez com seu coração, esse órgão tão sensível, no centro do seu ser, que é o canal para a sua alma e carrega a dor do passado. Tenha compaixão pelo seu coração, por tudo que ele sofreu, mas também valorize o imenso potencial que existe dentro dele; a riqueza acumulada em tantas vidas, a profundidade da sua vida emocional, da sua alma. Aprecie o seu próprio coração.

E então, sinta como estes três centros trabalham juntos e se alinham – cabeça, coração e abdome – e simplesmente deixe que isto aconteça; não precisa pensar sobre isto. Sinta como o fluxo de cima para baixo leva-o de volta ao seu centro. Mas, se perceber que ainda existe alguma resistência ou discordância, tudo bem, pois é por isto que você está fazendo este exercício. Este olhar para dentro de si, ajuda-o a se conscientizar de partes suas que estão fechadas e a abrir portas. Deixe que tudo seja como é, naturalmente.

Obrigado por vir aqui hoje. Compartilho minha energia com você.

© Pamela Kribbe
www.jeshua.net

Tradução para o português de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *